Como evitar dívidas com o cartão de crédito?

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Dívidas com o cartão de crédito são algo mais comum do que deveriam para o consumidor brasileiro. A incerteza econômica se prolonga e acaba gerando uma falta de previsibilidade para as famílias, tanto no que diz respeito aos seus empregos quanto ao dinheiro em si. Mesmo assim, é impossível parar de fazer compras.

Seja para celebrar uma data especial, fazer as compras do mês ou realizar um sonho que já vem de muitos anos, o cartão de crédito é visto como o salvador, quando ele pode se tornar um grande vilão e gerar ainda mais problemas para quem utiliza sem critérios.

Saber utilizar o cartão de crédito é fundamental para ter um final de ano tranquilo e ainda aproveitar a Black Friday (com muita cautela em relação aos preços) sem dificuldades.

Evitando dívidas com o cartão de crédito

O grande problema do cartão de crédito não está no uso em si, mas nos juros que o consumidor paga quando não realiza o pagamento da fatura em dia. Os juros são pesados e acabam gerando problemas financeiros graves em uma situação que dura por anos! Confira as dicas a seguir para evitar cair na armadilha do crédito.

Quanto menos, melhor

Quanto menos cartões de crédito, melhor. Se puder ter apenas um, perfeito! Dois, três, quatro acabam agravando a situação e gerando os já citados problemas financeiros. Não caia na armadilha de fintechs, bancos e afins, que oferecem cartões de crédito e outras possibilidades que parecem muito interessantes a princípio, mas que depois se mostram como um pesadelo.

Não se deixe levar

Planeje suas compras com precisão. Não saia comprando tudo que vê pela frente apenas porque pode fazer isso. A ilusão de não precisar pagar por um produto imediatamente é uma das maiores fontes de dores de cabeça para quem obteve dívidas com cartão de crédito.

Cuidado com o empréstimo do cartão

Se algum familiar ou amigo pedir seu cartão emprestado para realizar uma compra, corra. Não é uma boa ideia, visto que a pessoa pode se comprometer com uma dívida que não poderá pagar. A falta de previsibilidade financeira e instabilidade no mercado de trabalho são indícios de que ninguém está realmente seguro, e emprestar seu poder de compra a alguém que não o possui significa assumir o risco de pagar por uma dívida que você não fez.

Menos parcelas = menos dor de cabeça

Várias parcelas pequenas se juntam e formam uma despesa mensal gigantesca. Por isso, cuidado ao parcelar várias coisas em muitas parcelas. O dinheiro que você destina a essas parcelas pode vir a fazer falta em um futuro próximo, visto que você poderá perder o controle do que está comprando. Por isso, quanto menos parcelas, melhor.

Não postergue o pagamento das faturas para escapar das dívidas com o cartão de crédito

Pague as faturas integralmente para evitar dívidas com o cartão de crédito. Não deixe para depois, pois você pagará juros e terá que recorrer a parcelamentos, que deverão piorar a situação financeira e comprometer sua vida ainda mais.

Por isso, gaste apenas o que pode pagar e com o que realmente precisa comprar. Deixe os luxos para momentos onde sua vida financeira estiver mais estável.

Leia também:

Como lidar com juros abusivos no contrato de financiamento

Dívida caduca? Como funciona?

Agora, basta aproveitar as dicas que a Price Soluções Financeiras entrega a você semanalmente pelo blog. Consulte nossos serviços para se livrar das dívidas de uma vez.

Entre em contato conosco e tire suas dúvidas.

Outros artigos que podem te interessar

Consultar O Cpf - Price SF

Consultar o CPF é uma forma de manter o nome sempre limpo. Saiba como fazer!

Consultar o CPF é uma excelente forma de manter o seu nome limpo. Nem sempre você conseguirá estar atento o bastante para verificar aquele SMS ou uma carta que chegou à sua casa dizendo que seu nome foi negativado. Logo, a melhor saída é olhar o sistema do Serasa por conta própria! Quando você cria

Dívida Caduca

Dívida Caduca? Como funciona?

Não é incomum ouvir falar que dívida caduca ou se perguntar se é realmente verdade, como funciona e se isso significa que a dívida não existe mais. A confusão é natural. Existe uma certa “nebulosidade” a respeito desse assunto porque, em tese, basta esperar a dívida completar um certo período para prescrever, e então, o